Publicação em destaque

INTERPRETAÇÃO SIMPLIFICADA DO PROCESSO EXECUTIVO simplex

Esta é a leitura do cidadão comum  acerca do fenómeno processual que transformou o valor do seu trabalho num prejuízo indefinido:   ‒ O ...

quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Ao BANQUEIRO mais BEM PAGO de Portugal

Demorámos QUATRO ANOS para comprovar a V. Exª, aos seus advogados especialistas e à Ordem dos Advogados, que o nosso "direito de resposta e defesa" contra a vossa acusação e difamação, é legítimo, está em tempo, e é legal.

 
Recuemos a Fevereiro de 2014. À época em que a investidora internacional Isabel dos Santos se "sentava na mesa da Administração" do Banco BPI S.A., no ano em que o banco teve um prejuízo superior a 160 Milhões:
— O Estado e o Banco, em crise financeira e quase sem recursos, sob o domínio da Troika, utilizaram estratégias inusitadas para garantir "os seus interesses" e, nesse trânsito, violaram descaradamente direitos fundamentais da Cidadania e da DUDH.
 
A Senhora Advogada Carla Braguez, Associado Coordenador da GPA Advogados, mandatada pelo Banco BPI S.A. para “defender os seus interesses” no âmbito de um processo executivo, em requerimento próprio dirigido ao Meritíssimo Juiz de Direito, prestou declarações arbitrárias e sem fundamento, difamou os executados e forneceu dados falsos ao Tribunal de Almada, obtendo assim parecer jurídico favorável às suas pretensões.
 
Portal da Queixa

Sem comentários:

Publicar um comentário